Daniel Comboni salvar África com os africanos

História do Instituto

O instituto dos missionários combonianos do coração de Jesus (MCCJ) tem origem no carisma de São Daniel Comboni que achou ter chegado o tempo da salvação da África e dos africanos.

O século XIX ficou marcado pelo ressurgimento missionário na igreja, especialmente na África. O vicariato da África central foi criado em 1846. A atividade missionária do instituto Mazza de Verona, ao qual Daniel Comboni pertencia, foi dirigida àquele vicariato.

O bispo Daniel Comboni nasceu em Limone sul Garda, no norte da Itália, a 15 de Março de 1831. Como padre do instituto Mazza participou na viagem missionária que chegou à missão de Santa Cruz, no Sudão do Sul, em 1858.

No dia 14 de Setembro de 1864, durante o tríduo de preparação para a beatificação de Margarida Maria Alacoque, enquanto rezava junto ao túmulo de São Pedro, concebeu o “Plano para a regeneração da África”. O Plano de Comboni, fruto da contemplação do Bom Pastor do coração trespassado, queria envolver toda a igreja num esforço unificado em favor da África, no seu conjunto e propunha-se “Salvar a África com a África”.

Depois de tentar sem resultado envolver diversos institutos no seu plano, Daniel Comboni acabou por ser conduzido, no dia 1 de Junho de 1867, a fundar em Verona o ‘Instituto para as missões da África’. Era um instituto diocesano, formado por padres e irmãos de diversas nacionalidades, sem votos religiosos mas comprometidos por meio de um juramento de pertença e lealdade ao instituto e à missão. A finalidade era a evangelização da África e as primeiras regras são de 1871.

Toda a vida de Comboni e o seu trabalho foram inspirados pela ideia do Plano. A fundação do instituto, o seu Postulado ao concílio Vaticano I em favor dos africanos, o seu trabalho missionário na África central, a animação missionária nas principais cidades da Europa, a fundação das Irmãs Missionárias Combonianas e o renascimento do vicariato da África central foram todas partes integrantes da realização do seu Plano. Em 1872 foi nomeado pró-vigário e em 1877 bispo e vigário apostólico da África central.
O Postulado de 24 de Junho de 1870, assinado por 70 padres conciliares e incluído na agenda do Vaticano I, nunca foi discutido por motivo da interrupção forçada do Concílio.
Comboni morreu em Khartoum a 10 de Outubro de 1881, antes de poder consolidar as suas instituições, sonhadas a nível internacional.

Depois da destruição das missões durante a revolta Madhi, o seu sucessor, o bispo Francisco Sogaro, pediu e recebeu da santa sé a autorização para transformar o grupo num instituto religioso com o nome de “Filhos do Sagrado Coração de Jesus”. A direção do instituto foi entregue a alguns jesuítas que ajudaram o instituto de Comboni a fortalecer a vida consagrada através dos votos. As primeiras profissões aconteceram em 1887. O instituto foi oficialmente aprovado por decreto de 7 de Junho de 1895. O primeiro capítulo geral foi em 1899.

No dia 19 de Fevereiro de 1910 as constituições foram definitivamente aprovadas; aí se declarava: “a finalidade do instituto é a conversão dos povos da África central e de outros povos que possam ser-lhe confiados pela sagrada congregação da propagação da fé”.

Devido a tensões surgidas dentro do instituto, no dia 27 de Julho de 1923 a congregação da propagação da fé, contrariada, decidiu dividir o instituto em dois, um italiano na sua maioria, que manteve o nome original “Filhos do Sagrado Coração de Jesus” e outro, de língua alemã na maioria que tomou o nome de “Missionários Filhos do Sagrado Coração”.

Os dois institutos seguiram cada um o seu caminho, mas enfraqueceu o impulso internacional. Contudo a finalidade missionária e o carisma permaneceram constantes. Em obediência ao Espírito Santo e ao pedido da santa sé que pediu o envolvimento de toda igreja missionária, foram abertos novos campos de trabalho na América Latina, porque tinha chegado o tempo deste continente.

Sob o impulso do Vaticano II, a crescente descoberta da presença viva do fundador e ainda o desejo da reunificação, que nunca tinha desaparecido, os dois capítulos gerais, a 2 de Setembro de 1975 reunidos numa sessão conjunta em Ellwangen/Jagst, Alemanha, decidiram unificar os dois institutos. Num referendo esta decisão foi confirmada por uma esmagadora maioria dos membros de ambos os institutos.

No dia 22 de Junho de 1979, festa do sagrado coração de Jesus, dia da abertura do XII capítulo geral, a reunião dos dois institutos combonianos foi oficialmente confirmada por um decreto da sagrada congregação para a evangelização dos povos. O novo nome do instituto reunido é “Missionários Combonianos do Coração de Jesus (MCCJ)”.

Ao ler a nossa história, nós missionários de Comboni reconhecemos a ação do Espírito de quem o nosso instituto surgiu através do fundador e que nos foi e vai ainda conduzindo na missão que continua hoje.

Assine nossa Newsletter

Receba nossas notícias, basta preencher os campos abaixo:

Nos conte o seu nome :)
Email invalido
Invalid Input

Contato

    +55 (11) 3721-8733 | +55(11) 97956-8317
    Rua José Rubens, 15 | São Paulo - SP - Brasil
    combonianos@brcomboni.org.br

Visite-nos em